Vida Selvagem no Afeganistão Consegue Sobreviver aos Períodos de Guerra

Uma boa notícia no meio de uma situação horrível: apesar de anos de caça desregulamentada e perda de habitat devido a conflitos de guerra no Afeganistão, grandes mamíferos, como ursos negros asiáticos, lobos cinzentos e leopardos estão conseguindo sobreviver em partes da região.
Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores usaram dados recolhidos entre 2006 e 2009 na província oriental de Nuristan, Afeganistão. As informações incluíram amostras de DNA, imagens de câmeras escondidas, entre outras técnicas.
As câmeras capturaram uma grande variedade de espécies selvagens, incluindo um urso negro, um leopardo, um porco-espinho e uma marta (Martes flavigula), dentro de uma área de 1.100 quilômetros quadrados.
A pesquisa também incluiu a primeira observação documentada do paguma larvata (Paradoxurus hermaphroditus) no Afeganistão. Outro animal descoberto no censo é o markhor, maior membro da família da cabra, que pesa até cerca de 110 quilos e é adaptado à vida na montanha.
Os resultados indicam que os animais selvagens estão sobrevivendo apesar do desmatamento, da degradação do habitat e de décadas de guerras ilegais.
“O meio ambiente do Afeganistão, como o povo afegão, tem mostrado uma resistência incrível em face à décadas de instabilidade”, disse a autora do estudo, Kara Stevens. “No entanto, no futuro é necessário apoio para garantir que as comunidades possam gerir de forma sustentável esses recursos para as próximas gerações”.
Os pesquisadores observam que, embora o isolamento de Nuristan forneça alguma proteção para a fauna, o efeito de 30 anos sem gestão eficaz para limitar a caça e proteger as florestas põe os lugares e animais selvagens em risco.
Segundo os cientistas, a perda contínua desses recursos pode resultar em dificuldades econômicas, o que pode desestabilizar ainda mais a região. Atualmente, a aplicação de medidas de conservação no Afeganistão é limitada devido aos desafios de segurança.
Com o orçamento de assistência externa dos EUA cortado drasticamente este ano, os pesquisadores insistem que o país continue ajudando em projetos de gestão de recursos, inclusive com base na comunidade, monitorando a vida selvagem em regiões de conflito como o Afeganistão.

Fonte: Hypescience


About Programa Território Animal

Caio Fernandes possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Guarulhos (2002). Atualmente finaliza sua Pós Graduação em Gestão Ambiental no IFPR (Instituto Federal do Paraná). Foi Diretor de Meio Ambiente na Secretaria de Recursos Naturais na Prefeitura Municipal de Pontal do Paraná. Enriqueceu seus conhecimentos como Técnico em Educação Ambiental na Associação MarBrasil , que desenvolve projetos de conservação e preservação de ambientes marinhos e costeiros, o projeto em destaque é o Programa REBIMAR (Programa De Recuperação da Biodiversidade Marinha) que tem como carro chefe a implantação de recifes artificiais como ferramenta para restabelecer os recursos pesqueiros e a biodiversidade marinha do litoral do Paraná. É idealizador e apresentador do site "Programa Território Animal" (http://programaterritorioanimal.com), que foi premiado como TOP2 no Prêmio TOPBLOG 2010 Categoria Sustentabilidade decidido pelo Júri Acadêmio e Profissionais da Área de Meio Ambiente do Brasil. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Educação Ambiental. Desenvolveu projetos de Educação Ambiental em Instituições de Ensino no Zoológico Municipal Quinzinho de Barros em Sorocaba, e no Sítio Reino Animal onde atuou como coordenador e biólogo responsável. Trabalhou como Monitor de Educação Ambiental em Acampamentos, Hotéis e Exposições pelo país. Lecionou como palestrante em diversos estágios de atualização profissional do Batalhão do Policiamento Ambiental do Estado de São Paulo realizada pela CIPN 1 BPAmb no Instituto Florestal em São Paulo. Publicou trabalhos científicos relacionados a levantamentos de fauna do Projeto BIOTA/FAPESP. Colaborou para pautas dos Programas da TV TEM afiliada a REDE GLOBO no interior de São Paulo, inclusive participando de matérias relacionadas ao tema de Educação Ambiental como Animais de Interesse Médico no quadro NA TRILHA e Educação Ambiental em escolas, ambos no Programa REVISTA DE SÁBADO , e pauta relacionada a Diferença entre Animais Exóticos e Animais Silvestres no Programa DE PONTA A PONTA .