Coluna Natascha Wosnick Fique ligado – CITES 2013

Olá leitores do blog! Hoje resolvi escrever a respeito de um tema de extrema importância. Em Março irá ocorrer em Bangkok na Tailândia o  “16th meeting of the Conference of the Parties to CITES”.

 A Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção – CITES é um dos acordos ambientais mais importantes para preservação das espécies, tendo a maioria dos países do mundo signatários. O Brasil aderiu à Convenção em 1975. O Decreto nº 76.623/75, promulga seu texto, que foi aprovado pelo Decreto legislativo nº 54, do mesmo ano.

A CITES regulamenta a exportação, importação e reexportação de animais e plantas, suas partes e derivados, através de um sistema de emissão de licenças e certificados que são expedidos quando se cumprem determinados requisitos. Um dos requisitos para expedição de licenças é se determinado tipo de comércio prejudicará ou não a sobrevivência da espécie.

As disposições sobre a implementação da CITES no país está estabelecida no Decreto 3.607 de 21 de setembro de 2000. Este Decreto, entre outras providências, ratifica o IBAMA como Autoridade Administrativa tendo a atribuição de emitir licenças para a comercialização internacional de qualquer espécime de espécies incluída nos Anexos da CITES. As Coordenações Técnicas e os Centros Especializados do IBAMA são designados Autoridades Científicas pelo mesmo Decreto.

A Autoridade Científica é responsável pela emissão de pareceres, para espécies incluídas em um dos Anexos da CITES (www.cites.org), que atestem que aquela exportação não é prejudicial a sobrevivência da espécie na natureza.
A Autoridade Administrativa considera os pareceres das Autoridades Científicas para a emissão de Licenças.

Atualmente, o papel da Autoridade Administrativa e Autoridade Científica está dividido entre a Diretoria de Florestas – DIREF e a Diretoria de Fauna e Pesca – DIFAP para espécies da flora e fauna, respectivamente.

Como bióloga e especialista em elasmobrânquios este ano a reunião tem uma importância ainda maior para mim, afinal será discutida a inclusão dos tubarões-martelo e raias-manta na lista de animais em perigo de extinção que devem ser imediatamente protegidos.

Como já escrevi no blog antes, tubarões são vítimas de constante preconceito e perseguição graças à falta de informação e filmes que tratam estes animais como vilões com sede de sangue e carne humana. O preconceito juntamente com a prática desenfreada do finning acabam por causar a morte de aproximadamente 100 milhões de animais por ano. Este numero absurdo de mortes acabou por causar declínio populacional que chega a 90% para algumas espécies.

Muitas ongs e pesquisadores especialistas no estudo de raias e tubarões estão unindo forças para levar argumentos válidos até o encontro para que assim todos se conscientizem da importância em se proteger espécies de predadores de topo como raias e tubarões.

Um caso ilustrativo ocorreu na ilha australiana da Tasmânia há vinte anos. A pesca exagerada de tubarões levou à superpopulação de uma de suas principais presas, os polvos, que por sua vez praticamente acabaram com as lagostas da região. O desaparecimento dos tubarões quase levou à falência a indústria da pesca da lagosta na Tasmânia.

No Brasil os tubarões serão defendidos e representados pela ONG Divers For Sharks, parceiros no Programa Território Animal em defesa aos tubarões em projetos que serão divulgados ao longo deste ano.

A ONG internacional Shark Defenders criou uma campanha muito criativa para incentivar pessoas de diversos países a abraçar a causa!

Assim nós do Território Animal convocamos nossos leitores a fazer parte desta luta, como você pode ajudar?

É simples, você pode fazer uma doação para o Divers For Sharks de forma a ajudar os fundadores e representantes da ONG a comparecerem no encontro com dados de pesca brasileiros, ou de forma mais simples imprimir um dos mascotes da campanha do Shark Defenders, tirar uma foto com eles e mandar para a ONG, no passo a passo descrito abaixo!

Link para filiação Divers For Sharks ou doação:  http://diversforsharks.com.br/site/junte-se-a-nos-2/

Campanha Shark Stanley e Manta Reina

“Olá amigo! Meu nome é tubarão Stanley e eu estou viajando pelo mundo para encontrar amigos que irão apoiar a proteção do tubarão-martelo e da raia manta na Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Silvestres (CITES) que acontecerá  em março deste ano. Se você gostaria de me ajudar nesta missão, você pode imprimir essa imagem de mim, cortá-lo e tirar uma foto comigo em qualquer lugar que você desejar. Então, por favor, envie-me esta foto, juntamente com o seu nome e de onde você é! Meus partidários estão compilando suas fotos de todo o mundo para compartilhar em seu blog e páginas da web, e enviá-los aos governos de voto na CITES para conseguir seu apoio! Ajude-nos a atingir o nosso objetivo de encontrar 50 organizações e celebridades parceiros e coletar pelo menos 5000 fotos de todos os 176 países da CITES!”

Publique as suas fotos para o Facebook, Twitter, Pinterest, e Instagram marcados com SharkDefenders @, # SharkStanley, eo país onde você mora (ou seja, # EUA, # Fiji, # Brasil, etc.)

Pagina: http://www.sharkdefenders.com/p/shark-stanley.html

Facebook Shark Defenders: https://www.facebook.com/SharkDefenders?fref=ts

Facebook Shark Stanley: https://www.facebook.com/SharkStanley?fref=ts

Contamos com a ajuda de vocês, afinal o álbum do Brasil tem apenas 6 colaboradores!!!!

Talita Gomes – bióloga defensora de tubarões